Semanas atrás, ao bater-boca com jornalista, Camilo Santana (PT) chegou a afirmar que estava monitorando o passo-à-passo das facções no Estado, o que de fato, nunca ocorreu. Ou ocorreu?

“Mas a situação está fora de controle”, questionou o profissional da imprensa. Camilo não pensou duas vezes e respondeu:“Se estivesse fora do controle, você não estaria aqui, meu caro. Se [o Estado] não tivesse o controle, você não estaria nem andando nas ruas de Fortaleza”. Não é bem, o que se parece ser.

Procurados pela justiça, líderes do PCC executados, moravam há um ano no Ceará, sem serem notados, com vida milionária, além de um vai-e-vem entre o Brasil e a Bolívia, de onde exportavam a cocaína consumida no país sob o controle e distribuição do PCC. 3 casas de luxo em condomínios de alto padrão, 2 apartamentos em área nobre da Capital e 4 automóveis blindados de luxo na garagem. Como assim, sem serem notados? Não foi o próprio governador Camilo Santana (PT) que mesmo disse, que monitorava todos os passos do crime organizado? Êh, êh, só faltavam ser vizinhos do governador.

Tudo isso passou batido pela Polícia cearense e pelas autoridades da Justiça e do Ministério Público. Acreditava-se que “Gegê do Mangue” estava na Bolívia, escondido da Polícia brasileira. No entanto, aqui em Fortaleza, ele circulava a bordo de quatro carros importados e blindados.

Além da casa luxuosa no Alphaville de Aquiraz, “Gegê do Mangue” também comprou casas no Alphaville do Eusébio e apartamentos no bairro Cocó (um por andar). Com o dinheiro fácil do narcotráfico, adquiriu também uma mansão na paradisíaca Praia do Uruaú, em Beberibe (a 74Km de Fortaleza), no valor de R$ 1,1 milhão.

Tudo sob controle, mas de quem?

 

 

Notícias

Informação o tempo todo.