Há quatro anos,  o Instituto de Saúde dos Servidores do Estado do Ceará (ISSEC) sofre com o descaso e a lentidão nas marcações e agendamentos de consultas.

Problemas de atendimento de saúde de servidores estaduais não se restringem à Capital. Segundo servidores, há poucas clínicas credenciadas para atender a demanda. Na Capital, três hospitais não estão mais credenciados. Você, servidor do Estado, já precisou do (ISSEC) e não foi atendido? Após quatro anos sucateado, sem investimento, sem atendimento e com uma fila de espera interminável, governador Camilo Santana (PT) foi ao facebook anunciar em período eleitoral, investimento de R$ 130 milhões por ano aos cofres do Instituto. O petista afirma que a contribuição daqueles que aderirem ao plano de saúde, terá uma evolução nos serviços prestado.

E quem contribuiu até o mês passado e há anos não conseguiu, se quer, ser atendido governador, como fica? Ano eleitoral, é tudo mil maravilhas. Queremos ver, pós eleições“, reclama uma usuária do plano de saúde para servidores do Estado.

O petista afirma que a contribuição daqueles que aderirem ao plano de saúde, além do aumento dado, representará uma evolução considerável nos serviços. Ele explica que as medidas foram amplamente discutidas e acordadas com representantes dos servidores, que aguardavam uma decisão. Segundo o chefe do executivo Estadual, o conselho do Issec exercerá influência sobre os destinos dos recursos financeiros.

Na avaliação de um outro usuário, o descredenciamento de hospitais e médicos é a estratégia usada pelo Governo para pressionar os servidores a aceitar a mudança da assistência para o sistema de coparticipação. Segundo ele, os salários dos servidores são insuficientes para cobrir esse tipo de gasto.

Notícias

Informação o tempo todo.