Falta de bloqueadores de celular em presídios facilita ataques a ônibus“, diz OAB-MG. No Ceará, governador Camilo Santana resisti à instalação em resistência aliada da OAB-CE.

Falta do equipamento facilita que ordens para ataques partam de presídios, conforme Comissão de Assuntos Carcerários, que teve acesso a áudios. São quase 100 atentados em mais de 30 cidades.

Apenas uma das 200 unidades prisionais de Minas Gerais tem bloqueador de celular funcionando, de acordo com o presidente da Comissão de Assuntos Carcerários da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Minas Gerais, Fábio Piló. Segundo ele, o equipamento que impede ligações telefônicas na área protegida está em operação no presídio em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o qual tem administração privada.

Mais três veículos foram queimados em Minas Gerais entre a noite desta quarta-feira até a madrugada desta quinta, registra o G1. Este é o quinto dia de ataques a ônibus e locais públicos no estado. Desde domingo, foram 101 ataques, sendo 64 a ônibus, em 35 cidades. (…) Policiais à paisana estão circulando nos ônibus para tentar evitar novos ataques.

A OAB-MG e a polícia de Minas Gerais tiveram acesso a alguns áudios dos bandidos. “É pra pôr fogo em tudo que é distribuidora de ônibus, ônibus, prefeitura, todo tipo de banco. Entendeu?”, diz trecho de áudio.

No Ceará, os ataques a ônibus e a prédios públicos, deram uma trégua. Bandidos incendiaram ônibus, o prédio da Regional IV da Prefeitura, duas torres de telefonia e pneus em duas vias da capital cearense. O presidente da Ordem dos Advogados do Ceará, Marcelo Mota, opta por apoiar as decisões do Governo do Estado e não intervir no assunto “Facções”.

Nos últimos episódios, houve ataque também a um depósito do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) de Cascavel. Um veículo foi parcialmente queimado em frente ao 20° Distrito Policial na Capital e ataque foram registrados ao lado do 2ª Cia do 8º Batalhão da Polícia Militar, no Meireles.

 

Notícias

Informação o tempo todo.