Segundo Flavio Pripas, diretor do Cubo Itaú, momento é positivo para as startups

O ano começou com projeções positivas sobre o mercado, e os sinais de recuperação já são percebidos por alguns setores da economia. As startups fazem parte desse processo e sentem, no Brasil, um terreno fértil para seu desenvolvimento – e de forma promissora.

O mercado está com enorme apetite para inovar. Desafiador, 2018 será um ano para tirar o máximo proveito, mas, para isso, é preciso começar a agir o quanto antes. É como ter um plano tático. Confira:

1ª Etapa: Ataque
Pelo fechamento do ano passado, espera-se, durante este primeiro semestre, um movimento maior de receptividade das empresas. Elas estão de portas abertas para inovação. Então, é preciso aproveitar este momento para validar a proposta com o mercado: falar com todos os interlocutores (clientes e investidores) que possam aprovar o serviço da startup, consolidar a oferta e colocá-la em prática.

2ª Etapa: Consolidação
Temos um período mais calmo permeando o terceiro trimestre do ano por conta da eleição. Este é o momento para olhar para a equipe (contratar e formar um time mais preparado), cuidar da base de vendas (melhorar a plataforma tecnológica, desenhar o processo, a estratégia de marketing etc.) e estruturar a empresa.

3ª Etapa: Crescimento
No último trimestre, o cenário provável para o Brasil é voltar a crescer. É hora de desenvolver o planejamento e vislumbrar os horizontes para 2019, que já devem estar na mira das startups.

Flavio Pripas é diretor do Cubo Itaú e empreendedor

 

Notícias

Informação o tempo todo.