De acordo com estudo feito pela Tendências Consultoria o número de famílias que vivem em extrema pobreza aumentou em quase todos os estados.

São mais de oito milhões de nordestinos em situação de miséria. Natal lidera o ranking divulgado pelo IBGEO. Natal-RN tem a situação mais preocupante de todas as capitais nordestinas. Registrou um aumento de 63% no índice de pessoas na extrema pobreza, seguida por São Luís-MA (48%) e Aracajú-SE (30%). Por outro lado, algumas cidades vão no sentido oposto, João Pessoa (-25%), Fortaleza (-13%) e Recife (-4%) registraram redução nas tabelas de pobreza.

O percentual de famílias que vivem em extrema pobreza (renda familiar per capita de até R$ 85 por mês) aumentou em quase todos os estados do Brasil nos últimos quatro anos, em especial no Nordeste, registra o G1 com base em estudo feito pela Tendências Consultoria.

“Na média nacional, a miséria subiu para 4,8% da população em 2017, contra 3,2% em 2014. Nestes quatro anos, ela só não aumentou em dois dos 27 estados brasileiros, Tocantins e Paraíba.”

Adriano Pitoli, diretor da Tendências, relacionou a crise econômica – iniciada no governo do PT – e a evolução da pobreza: “Não surpreende que os estados que mais sofreram com a recessão foram os que tiveram maior piora na pobreza extrema.”

Notícias

Informação o tempo todo.