Investigação atinge o presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira (MDB), após delator omitir informações sobre contratos de prestação de serviços que nunca foram executados.

Os papéis ordinários (com direito a voto) da Hypera Pharma, antiga Hypermarcas, caíram 6,91% e lideraram as quedas do Ibovespa nesta 6ª feira (20.abr.2018). Os investidores repercutiram novas informações acerca da operação Tira Teima, deflagrada pela Polícia Federal no último dia 10 de abril.

Na ocasião, a operação cumpriu mandados de busca e apreensão em São Paulo (SP), Goiânia (GO) e Fortaleza (CE) na Fábrica de Biscoitos do grupo M. Dias Branco. O inquérito investiga pagamentos de vantagens indevidas pela Hypera a políticos, envolvendo inclusive o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE).

Os mandados foram autorizados pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin. Foram alvos da ação da PF o maior acionista da companhia João Alves de Queiroz Filho e o executivo Cláudio Bergamo.

Nesta 6ª feira, a PF voltou a investigar o caso. Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, os agentes analisam agora se Nelson Mello, ex-diretor de Relações Institucionais da Hypera, teria omitido informações em seu acordo de delação premiada para proteger os 2 investigados.

Notícias

Informação o tempo todo.