Wagner (PR) teve decisão favorável em processo que condenou o pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) a indenizá-lo em mais de R$ 30,6 mil.

O parlamentar afirma que além dele, toda a categoria comemora, uma vez que quando Ciro o acusou de chefiar uma milícia ligada ao narcotráfico na Polícia Militar do Ceará, ele ofendeu todos os profissionais de segurança.

A afirmação de Wagner sobre o destino da indenização remonta sua reação às acusações que recebeu.

À época, em 2014, o deputado disse de forma indireta que Ciro Gomes usava drogas e cometia crimes. Além disso, afirmou também que havia “relatos na crônica policial de vários políticos envolvidos em orgias regadas a cocaína, bebidas, prostitutas e meu nome não aparece em nenhum desses relatos”.

Sobre as declarações feitas, o deputado explica que os crimes aos quais se referiu foram somente de calúnia. Já sobre o consumo de drogas, Wagner afirma que no ano da discussão desafiou o ex-ministro a realizar exame antidopping, “mas ele não aceitou o desafio. Eu fiz“.

Em decisão da juíza Roberta Pontes Maia, da 38ª Vara Cível de Fortaleza, o ex-ministro foi condenado a pagar R$ 30,6 mil por acusar o deputado estadual Capitão Wagner de chefiar milícia na Polícia Militar do Ceará.

Notícias

Informação o tempo todo.