Enquanto estava a frente da Presidência da República, Eunício Oliveira, assinou sexta-feira (07), o decreto que assegura recursos para a desapropriação de terras com o objetivo de dar início as obras do açude Lago de Fronteiras, na cidade de Crateús.

De acordo com o decreto, a União declara de utilidade pública, para fins de desapropriação, em favor do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS), as áreas de terras e benfeitorias localizadas na cidade, onde os serviços serão realizados.

A construção do equipamento é uma reivindicação antiga da população daquela localidade e será fundamental para garantir a segurança hídrica de Crateús e cidades vizinhas.

Atualmente, um dos maiores gargalos para dar continuidade ao projeto, que já foi licitado pelo DNOCS com orçamento de quase R$ 180 milhões, é a necessidade de desapropriação nas imediações das rodovias BR-226 e BR-404, áreas rurais e urbanas. São em torno de 900 pessoas dos distritos de Assis, Curral Velho, Poti e Cabaças que devem ser indenizadas pela União.

O Açude Lago de Fronteiras deve ser construído a 30 km da sede de Crateús, com capacidade de quase 490 milhões de m³ de água, beneficiando mais de 120 mil pessoas.

Notícias

Informação o tempo todo.