Segundo petistas, o PDT de Ciro teria pedido três ministérios, o BNB e a Presidência do Senado Federal, nada feito, informa o Estadão.

Terceiro lugar no primeiro turno da campanha presidencial com 12,4% dos votos válidos, Ciro Gomes (PDT), declarou um apoio discreto ao candidato Fernando Haddad (PT), recusando participação na campanha ou na composição de um eventual governo petista.

Ciro Gomes (PDT) embarcará de viagem improvisada para a Europa e frustrará a campanha petista de Haddad (PT). Hoje, (11), o jornal Estadão afirmou em editorial que petistas haviam informado de um acordo em andamento, entre o pedetista e o petista para um apoio no 2º turno. Segundo os próprios petistas, o PDT de Ciro Gomes havia pedido 3 ministérios, o comando do Bando do Nordeste que pertence a Eunicio Oliveira e a Presidência do Senado Federal que também é ocupada por Eunicio. Os petistas ofereceram apenas dois ministérios, confirma o Estadão.

Ciro planeja voltar ao Brasil somente na metade da semana que vem, quando faltarão cerca de 10 dias para a eleição. Em nota, o PDT confirma o apoio, mas nega qualquer troca de cargos.

A ausência de Ciro Gomes do país nos próximos dias prejudica, pelo menos num primeiro momento, a estratégia de dar um caráter de “frente democrática” à candidatura de Fernando Haddad na etapa final da eleição, registra O Globo, lembrando que o vermelho petista já foi trocado pelas cores da bandeira brasileira “para passar a ideia de que o presidenciável não representa apenas o PT”.

 

Notícias

Informação o tempo todo.