Ataques são registrados em Fortaleza, Horizonte, Maranguape, Maracanaú, Caucaia e Juazeiro do Norte.

Ônibus, prédios públicos, concessionárias, bancos, carros, semáforos e até um fotossensor foram alvo das ações criminosas que tiveram início na noite da quarta-feira (2). O secretário nacional de Segurança Pública no Governo Jair Bolsonaro, general Guilherme Theophilo, enfatizou ontem, em entrevista ao Sistema Verdes Mares, que não medirá esforços para ajudar o Ceará a combater a criminalidade. Na opinião do general, o reforço da Força Nacional deve ser suficiente. “Vamos apoiar com todos recursos que tivermos disponíveis. Se for o caso, intermediar ou pedir intervenção junto com o governo Bolsonaro.

Pelo menos quatro ataques foram registrados em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), na noite desta quinta-feira, 3. Entre os registros estão o incêndio da Caixa Econômica Federal, o Demutran da Pajuçara e a subprefeitura no Novo Maracanaú, além de veículos incendiados. De acordo com o policiamento da área, viaturas estão em diligências e há registro de presos.

Não se sabe a motivação da onda de crimes. Os ataques acontecem após declaração do récem-empossado secretário da Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque no último dia 1º de janeiro. Ele disse não reconhecer a existência de facções criminosas e afirmou ainda que não acha efetiva a separação de detentos de organizações criminosas rivais em presídios diferentes.

 

Notícias

Informação o tempo todo.